A Trindade

2005-06-22

IX - Grande Ordem do BP

Sei que Jésuis vai ficar fulo quando ler este post, mas agora já não interessa, ele que se vá queixar à Mãe. Segui um dos conselhos do Cunhal: separei-me!

O Cunhal foi mesmo uma lufada de ar fresco aqui no Céu. Despertou a consciência política e social dos anjinhos que por aqui andam. Até eu estou diferente: uso cada palavrão que há uma semana atrás nem sabia o que significava.
Isto anda é um bocado confuso para quem já viveu tantos anos como eu. Deixa cá ver, se sou mais nova que o Jésuis 5 anos, então são 2000.

Um que anda insuportável é o Sócrates! Queixa-se de um homónimo qualquer que apareceu lá na Terra. Fui espreitar e não têm nada a ver. O primeiro vestia toga, o segundo veste Ermenegildo Zegna; o primeiro tinha discípulos, o segundo tem ministros; o primeiro era um pensador, o segundo é um sedutor; o primeiro só pensava no sentido da vida, o segundo só pensa no sentido do défice.

Fui perguntar ao Cunhal o que era o défice e acabámos a falar do Vitor Constâncio. O Cunhal também me explicou aquela coisa da direita e da esquerda mas este Constâncio baralhou-me completamente as ideias. Eu pensava que ele era de esquerda mas pelos vistos na Terra há uma coisa chamada Banco de Portugal que transforma democratas em reaccionários.

Andei a olhar lá para o tal BP porque aquilo não fazia sentido nenhum. Mas finalmente percebi: não interessa a cor que eles têm quando entram para lá, porque depois de entrarem na Grande Ordem do Banco de Portugal ficam todos amarelos.

Finalmente percebi o que são as Lojas e os Lobbies. Foi 2 em 1.
Aqueles meninos trabalham todos para o “Poder Oculto”. Querem saber o que isto é? Tem a ver com o Lulu, sim, tem. Mas é um grupo criminoso organizado de poder e capitais ilimitados. São eles que comandam tudo: os políticos, os governos, os mercados, as crises económicas, os meios de comunicação social e até as tomadas públicas de opinião. Agem na sombra, como qualquer enviado de Luchifrer, para movimentar tudo a seu belo prazer de modo a ficarem ainda mais ricos e mais poderosos. São aquilo a que constumamos chamar “Eles”.

“Eles” não têm moral, não têm escrúpulos, não têm piedade, são os verdadeiros filhos de Satã. São “Eles” que lançam ideias do género: “as mulheres são menos produtivas porque engravidam e ficam 4 meses em casa”, “os trabalhadores portugueses são pouco produtivos”, “temos de ser competitivos face aos países de Leste e à China”.

E o povo ouve isto pela boca imensa da Manuela Moura Guedes e acredita.
São os crentes, os fiéis. Antigamente iam à missa e acreditavam em tudo o que o padre dizia, agora ligam a televisão e acreditam em tudo o que o pivot diz.
Parece que nada muda, simplesmente o Lulu está cada vez mais tecnológico.

Posted By Madaluca

1 Comments:

  • "São os crentes, os fiéis. Antigamente iam à missa e acreditavam em tudo o que o padre dizia, agora ligam a televisão e acreditam em tudo o que o pivot diz."

    Adorei esta!

    Mas, sim, os fiés são todos uns santinhos, o ceu esta cheio deles. ñ tá ñ!

    By Blogger Ta-ka-tô, at 11:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home